Memorial 

11/11/59 á 17/03/2018

Adriana Araújo

Sobre ela

Adriana Souza Araújo, mais conhecida como Adriana Araújo à radialista, nasceu em Ilhéus Bahia, no dia  11 de novembro de 1959. Adriana era uma pessoa de origem humilde, desde sua infância foi um esteio para sua família, ajudando sua mãe a trazer o sustento para o seu lar.

 

Estudou na rede pública de ensino, valorizando cada possibilidade de acesso à educação, teve como “faculdade” a vida. Adriana como tantos brasileiros lutou diariamente por uma existência mais digna e justa, dizia sempre que era uma sobrevivente.

 

Adriana Araújo foi um exemplo de superação, mesmo diante das dificuldades e sofrimento preservou a generosidade em seu coração. Jamais passou por cima de alguém ou perdeu sua dignidade. Era comum a radialista mencionar em seus programas de rádio o seu sonho e luta por uma sociedade melhor para todos. Pois, ela  sabia de perto o quão dolorido era sofrer  preconceitos, violências e passar por necessidades. Era necessário fazer a diferença e ela o fez.

 

Nasceu para  comunicar e para agregar. Pessoa simples, porém, de imensa sabedoria, transmitia a informação de maneira acessível, possuía uma habilidade extraordinária de transitar entre grupos sociais diferentes, promovendo a quebra de barreiras, tabus e paradigmas. Unindo pessoas em prol de um bem comum, uma sociedade saudável. Para que isso fosse possível, existia a necessidade do dialogar, informar e exemplificar. Adriana exerceu a cidadania sendo o elo e muitas vezes à voz, à representatividade daqueles que não a tinham.

 

Adriana trabalhou como radialista por muitos anos fazendo os mais diversos programas, sua voz grave, seu jeito doce de expressar-se encantava os seus ouvintes. No entanto, o seu sonho se concretizou quando de maneira independente projetou e colocou no ar o programa Diário Semanal, esse trabalhava temáticas sociais relevantes, buscando promover o diálogo, levantar questionamentos e possíveis soluções. Motivando os cidadãos paraenses a assumir esse papel de maneira consciente de seus deveres e direitos.

 

Para ela, o programa Diário Semanal era um meio de levar informação aos seus colonos da zona rural, esses ouvintes assíduos do Diário, afinal, Adriana  sempre os representou e buscou auxiliá-los. O programa Diário Semanal deixou de ir ao ar por conta dos custos e manutenção. Ser imparcial, priorizar a verdade trouxe a radialista credibilidade e amigos. Contudo, não o recurso para dar continuidade ao seu estimado do programa.

 

Com o avanço tecnológico a visionária comunicadora Adriana Araújo enxergou a chance de continuar a fazer o que amava COMUNICAR-SE, a ganhar o seu sustento e a incentivar as pessoas a compartilharem conhecimento e a promover o diálogo. As fronteiras já não existiam, então, nasceu o Blog Marabá Diário, e novamente a mulher que sempre ousou sonhar exercia sua missão, a de ser uma PONTE.

 

O dialogo só é possível quando há mais de um, do contrario seria um monólogo. Por isso, Adriana trouxe as pessoas para a sua intimidade, possibilitando aos seus seguidores um o papel ativo em suas redes sociais e no seu novo empreendimento (o Blog Marabá Diário) o dê serem parceiros, criadores de conteúdo. Visando “ensinar a pescar ao invés de dar o peixe” Adriana abre mão de protagonizar e torna-se parte do todo.

 

Seu exemplo como profissional, cidadã, mulher, filha, irmã, mãe e amiga perdurará enquanto existirem pessoas que sejam capazes de lutar pelo bem estar coletivo. Adriana Araújo foi à voz do ser humano que vê na diferença a oportunidade de unir forças por mundo melhor.

Manter esse legado é possível. Se você acredita que tem algo de bom a contribuir venha fazer parte dessa história conosco! Para transformar a realidade que nos circunda e preciso transforma-se primeiro, seja à voz! Seja o exemplo a seguir!

Está página foi criada em homenagem a minha mãe Adriana Araújo, com objetivo de fazer com que outras pessoas pudessem a conhecer la, e que pudessem perceber a pessoa incrível e humana.

Aqui, cada leitor poderá  saber através das postagens, depoimentos de amigos, curiosidades, pensamentos e relatos sobre quem era Adriana Araújo por traz dos microfones ou de uma tela de um computador . Posso ter perdido uma mãe, mas, sei que muitos perderam uma irma, amiga, parceira, admiradora.

Então, essa página é para todos que desejam matar a saudade e conhecer sobre uma grande mulher que tanto fez pela sociedade.

 

Galeria de fotos

1/60

Curiosidades sobre ela

  1. Apelidos: Pepei ( infância ), Dríca, Diana, mery.

  2. Comida favorita: Feijão com macarrão no alho e óleo, acarajé, piqui.

  3. Sonho de velhice: Envelhecer em uma casa de frente para o mar em sua cidade natal (Ilhéus Bahia).

  4. Hábito de todos os dias? Fazer café ao acordar pela manhã e exatamente as 15hs  ( Horário sagrado do café) / Tirar um soninho após o almoço.

  5. O que Adriana mais gostava de fazer? Trabalhar ajudando as pessoas./Em horários vago tomando um cafezinho./ Responder seus recados nas redes sociais.

  6. Segundo sua mãe Luzia Araújo Adriana era "pimenta" definição dada pela mesma, pois era muito virada e inteligente para sua idade.

  7. Sua mãe também comenta que ela gostava de montar a cavalo, brincar de pega pega, e frisa que Adriana Araujo era apaixonada pelo campo.

  8. Pecado de Adriana Araújo quando criança? Roubou uma lima quando era pequena e levou uma surra. Obs. ( em vida Adriana contava que após a surra nunca mais quis roubar coisa alguma. rsrsrs ).

Adão Almeida

Homenagem de aniversário

Seguem as lembranças
Na janela da eternidade.
Sua partida, seu adeus;
São asas da saudade.
Seguimos todos perplexos
Sempre nos questionando
Muitas vezes esquecendo
Que Deus está no comando
Você boa filha, boa mãe,
Amiga, companheira,
Nos braços do pai eterno, 
Feliz estar repousando.
A simplória homenagem
Não estava dentro do plano.
Por tanto te admirarmos, 
Continuamos te amando.

Gilmara

Adriana Araujo era muito mais que parceira de negocio. Era minha amiga, a gente conversava sobre tudo e sempre que uma precisava da outra sabiam que estariam ali.

Lembro-me bem quando a Leolar foi patrocinar o programa, Leo pediu que ela fosse ao departamento de Marketing da empresa e ela virou e perguntou: Posso falar com a Gil?

Léo sorriu, afinal a Gil era RH. Mas ela por mais que o Marketing era o setor que poderia ajuda-la. Era comigo que ia e sempre ficavamos horas conversando, os sonhos eram muitos, a vontade de contribuir com a regiao era algo nato em Adriana. Sempre disposta a contribui. O tempo passa e ainda nao caiu a ficha que vc nao esta mais aqui minha amiga.

Sua historia jamais sera esquecida.

Bruna Araújo Mendes Rodrigues

Perdas são dolorosas. 
A saudade é confusa.
Lembranças trazem alegrias, mas, também dores .
E nessa confusão sentimental sua ausência se faz presente. As noites de domingo tornaram-se cinzentas, a espera por um áudio ou ligação uma tortura.
E no peito uma imensa sensação de vazio e a tristeza de saber que jamais a ouvirei novamente a chamar-me de BRANQUELA.

Emmanuel Wambergue “Mano”

A luzinha vermelha: NO AR

O DIARIO SEMANAL – ADRIANA ARAUJO

 

Esse sábado 17 eu volto de Belém. Chegando em casa, pelas 9h, no horário que começava nosso “diário semanal”, um telefonema do Eliseu: o choque, a noticia brutal, Adriana faleceu. Eu fico atônico, não sei o que dizer....

No velório, na Laranjeiras, na hora da despedida tem os “fieis” participantes do programa da Adriana; já passou Claudia dos direitos Humanos e vejo Jair da PRF/DMTU, o Medico Francisco, Haroldo Gaia da OAB, Bernadete da Fazendinha; tem Arnilson nosso organizador dos campeonatos de xadrez, filhos e filhas, vizinhos, universitarios e tantos outros amigos: uma grande roda de umas cinquenta pessoas....

Essas pessoas, que chamei de “fieis do Diário semanal”, são aquelas que mais encontrei no rádio Itacaiunas a convite de Adriana; essas pessoas representam o que Adriana queria mostrar no seu programa: o que tem de bonito em Marabá, de mais bonito em Marabá. Saúde, educação, segurança, alimentação, agricultura, direitos, transporte, logística, organização da sociedade civil, serviços publicos.... com uma atenção toda especial para os que ela chamava de “meus colonos” Era o programa da Cidadania em Marabá com competência e seriedade; os convidados lotavam, o que assim eu chamava, a Távola Redonda da Rainha Adriana, aquela mesa redonda frente á mesa de edição dirigida por nossa amiga Célia Campos da rádio Itacaiunas. Quando a luzinha vermelha NO AR acendia era silencio no estúdio. Nos debates e nas discussões dos temas que Adriana organizava, ela tinha capacidade de deixar o convidado bem á vontade e facilitava a fala de cada um com muita tranquilidade; nunca vi Adriana cortar a fala de alguém ou desviar o assunto no rumo estranho ao comentário de quem falava. Na hora dos comerciais era a hora do nosso lanche e bota lanche nisso: era também uma oportunidade de debates informais, muitas vezes acirrados sobre o tema do programa do dia. Nunca vi alguém fazer denuncia agressiva, caluniosa ou rancorosa: o clima inspirado pela Adriana não deixava espaço para isso. Vi muito políticos participar, mas nunca vi campanha partidária tomar conta do programa.

Saudade da tua fala, do teu vozeirão, da nossa Távola Redonda, das tuas mensagens, dos teus programas da cidadania.....

Adriana, sei perfeitamente que quando tu chegaste na porta do Paraiso naquele sábado na hora do nosso programa Diário semanal, São Pedro nem consultou seu grande livro; a porta do Paraiso estava aberto com a luzinha vermelha NO AR acesa; quando tu entraste, o Arcanjo Gabriel mensageiro de Deus te convidou. Pediu para te sentar á sua direita e diz: o programa é contigo. Tinha uma mesa imensa redonda pois no paraíso só tinha gentes para assuntos de coisas bonitas que seja de Marabá, do

Brasil ou do Mundo; “Nossos programas são para intervir, impedir coisas feias lá em baixo, na terra; precisa se organizar para um mundo mais justo, fraterno, solidário como nosso Deus quer. Sei que tu sabes contribuir com isso. Topas??? E não te preocupas!!!! Teu patrocinador é eu e é de graça; também temos todo tempo do mundo para discutir e planejar as coisas boas. Temos a eternidade na nossa frente.”

Me digam uma coisa; desde aquele dia, vocês não sentiram que tem alguém que zela melhor da nossa vida?????

 

J. BEZERRA

Poema simplicidade foi postado na página - Conciência Literária

Falar de Adriana Araújo é muito fácil por que ela imprimiu sua personalidade em tudo que fez. Tive a sorte de conhecer la através do seu trabalho quando publicou meus poemas. A partir disso, criamos uma amizade baseada na admiração um pelo outro.
E se hoje  sou conhecido pelo meu trabalho em parte,  devo esse
reconhecimento a ela, em uma conversa me pediu um poema, então eu imprimi no poema um pouco do que ouvi dela -  o poema se chama simplicidade.
A final,  essa era uma de suas qualidades.
Guardo por ela grande respeito e carinho.

Arnilson

 Muitas recordações de um tempo bom, coisa que já passou e agora sabemos, sabemos que tudo havia um complemento, era como uma pizza deliciosa, de vários sabores, era assim as manhãs de sábado com o Programa de rádio Diário Semanal, um encontro comandado com maestria por Adriana Araújo, seu carisma preenchia um espaço enorme na vida das pessoas que ficam do lado de fora da emissora, na zona rural ou mesmo na cidade, preenchia um desejo de informar, de comunicar, de levar a informação certa para todos os recantos.
 Adriana Araújo como um maestro comandava com perguntas pertinentes juízes, advogados, engenheiros, professores, empresários, políticos, pessoas simples, numa melodia de carisma, de encantamento. Era o alimento para os carentes de informações e também para quem desejava alimentar. Os espaços da Rádio Itacaiúnas abrigou muitos eventos informativos que ficaram na história, ficaram, não teremos mais a palavra calma e sensata, a luz que abrilhantava os nossos dias, o carinho a distância para os muitos colonos, pessoas da cidade.
Em vida a Adriana Araújo era muito bem querida, muito admirada e mesmo assim não mudava o compasso de sua vida diária, com simplicidade e atenção para todos os detalhes, das pautas, da informação precisa. Uma pessoa muito admirável sem nenhum tipo de orgulho ou ostentação. Mas, nós falhamos, todos que a adoravam deixaram de prestar suas homenagens em vida. Me lembro de um aniversário surpresa que aconteceu durante um programa de rádio. Quanta alegria, quanta emoção em algo que estava longe de seu merecimento.

 Perdemos a Adriana neste campo físico e lamentamos que não teremos uma outra com tanto amor e carinho por Marabá e sua gente. A cidade e a imprensa marabaense ficou com uma lacuna. Resta-nos a saudade e a lembrança dos muitos bons momentos. O céu ganhou mais uma Linda Estrela.

Do amigo e poeta J. BEZERRA

Hoje a grande Adriana Araújo

Partiu da terra sem avisar

Seus amigos e família

Sentidos estão a chorar

Lamentamos por saber

Que ela não mais voltará.

 

Porém pensando diferente

Deus de nós nunca esqueceu

A nossa querida amiga

Acreditem não morreu

Sua alma virou um anjo

E foi morar junto de Deus.

 

Seu coração cheio de amor

Não deixará de pulsar

Tornará se numa estrela

E no céu irá brilhar

Velando por todos nós

De quem ela sempre cuidou

E agora morando com Deus

Eternamente de nós cuidará.

 

Seu amor pela poesia

Estava além do bem e do mal

Sei que ela agora está no céu

Ao lado do criador

Pois é um ser iluminado

E extremamente especial.

 

Respeito e admiração

 

Gen Pacelli.

"Adriana Araújo sempre foi divulgadora das atividades do Exército Brasileiro, em especial da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, na  cidade de Marabá e região, ressaltando a Prontidão e a Coesão junto à sociedade marabaense. A ela todo o nosso reconhecimento e gratidão pela honestidade de propósitos com que pautou sua jornada. Fica-nosseu legado de imparcialidade, justiça e generosidade para com todos que tiveram o privilégio de conhecer esta amável e amiga pessoa.

‎Jusllean Vieira‎ 

 

É uma certeza que nasce com todos nós, a de que um dia partiremos desta vida rumo ao desconhecido. É o final inevitável que todos conhecem. 
Mas pouco importa quanto sabemos, quanto esperamos e tememos esse adeus definitivo. Pois quando ele bate na porta de forma inesperada e leva uma pessoa que nos é querida, o choque é tremendo, horrível; como agora que minha amiga se foi, sem aviso, sem tempo para preparar o coração.
É terrível dizer adeus, é triste e doloroso, e multiplicado até ao infinito quando esse adeus é eterno. Pois dói muito tomar consciência que jamais voltaremos a encontrar essa pessoa; não neste plano da existência.

Minha querida amiga se foi, partiu para sempre, e junto com a saudade que deixou no coração daqueles que a amam, ficou a sensação de impotência, e um luto carregado de saudade!
Descanse em paz querida Adriana Araùjo

​Eu Valdirene Cassimiro da Silva ,mais conhecida como Val

"Tive a honrar de conhecer uma grande mulher chamada Adriana Araújo,a qual me ajudou muito,em todas as áreas da minha vida.Foi amiga, parceira, mãe ,conselheira e exemplo.Hoje é com muita dor que homenageio uma linda mulher que foi guerreira enquanto esteve aqui. Pois, foi  bondosa ,exemplo de humildade, sempre olhou para o próximo e se dedicou em seus afazeres com excelência.Adriana Araújo fez historia. Hoje me sinto feliz por ter conhecido e por ter recebido dela amor, carinho e dedicação.Sou grata a ela por tudo! Saudades eternas ! e sempre estará viva em meu coração.

Please reload

Adriana Araújo, radialista.

Fundadora do Programa Diário Semanal e do Blog Marabá Diário e outros.

  • WhatsApp
  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook
Todos os direitos reservados - 2013-2018 Rádio e Televisão
  • Unknown Track
  • -
  • Unknown Artist
00:00 / 00:00

Visitas