• Marabá Diário

Ser mãe de um filho Autista


"...rompendo barreiras e mostrando que o preconceito é apenas um reflexo da ignorância."

Lya Coelho









Descobrimos que o Heitor é autista aos 7 anos de idade, após a professora dele do 2° ano nos chamar para conversar sobre suas suspeitas. Então, marcamos uma consulta com uma neuropediatra e o diagnóstico veio.


Sou professora e já trabalhei com crianças com TEA, porém não consegui ver no meu próprio filho, tenho consciência que essa falha se deu porque o Heitor fala, tem autonomia e se relaciona aparentemente sem problemas. Na verdade, tudo isso serviu como uma cortina para mim e meu marido.


O Heitor só é falante perto de quem ele tem confiança, ou seja, se ele conhece ou se alguém que ele conhece estiver perto e fique com ele. A autonomia é branda e o relacionamento (contato físico) só ocorre se ele tiver o apoio.


Depois do diagnóstico comecei a vasculhar a memória e encontrei pontos que me passaram despercebidos como:


*Não abraçar, mas se deixar abraçar;

* Não olhar nos olhos, nem mesmo olhar para ser fotografado;

* Só brincar com os irmão ou com eles por perto;

* Cantar incessantemente a mesma música por horas;

* Chorar por motivos bobos;

*Brincar com brinquedos arrumados enfileirados.


Aos dois anos o Heitor perdeu cabelos, algum tempo depois descobrimos que ele os arrancava.


Hoje ele faz terapias e a sua evolução é notória. Temos confiança que o Heitor irá ultrapassar todos os obstáculos que o TEA e a sociedade lhe impuser, rompendo barreiras e mostrando que o preconceito é apenas um reflexo da ignorância. E essa, pode ser solucionada com empatia, respeito e informação.


Lya Coelho


0 visualização

CONHEÇA

Armações de diferentes modelos e preços.

Siga nosso Instagram

  • Instagram

Contato: (094) 991560210

" A vida é uma das maiores  escolas em que um individuo pode estudar. Pois, estudamos de forma integral, com aulas teóricas e práticas constantes, com professores rigorosos, e seu termino será somente quando acabar nosso ultimo fôlego de vida, enquanto tivermos  fôlego , somos estudantes ."

Adriana Araújo

Todos os direitos reservados - 2013-2020