• Marabá Diário

Quer um Antídoto para o medo ou Timidez?


Ontem estava em um treinamento de dança na igreja do evangelho quadrangular, foi pedido com que as participantes expressassem atravez do corpo a melodia ao qual estavam ouvindo. Grande maioria teve serias dificuldades de realizar o exercicio.

E o motivo? Medo , timidez.


A timidez ou o acanhamento pode ser definida como o desconforto e a inibição em situações de interação pessoal que interferem na realização dos objetivos pessoais e profissionais de quem a sofre. Caracteriza-se pela obsessiva preocupação com as atitudes, reações e pensamentos dos outros. O tímido, por ser mais sensível, tem muitas ideias e sugestões, mas tem muito medo de errar, porque suas ideias e opiniões são bem diferentes do que a maioria das pessoas apresenta. E o medo do julgamento é outro agravante. Ser julgado devido às suas colocações, se expor e ser criticado, são receios intensos em uma pessoa tímida — explica a analista comportamental Mariza Baumbach. Para a psicóloga Cristiane Pereira, a melhor maneira de vencer a timidez é partir para o enfrentamento do problema.


Achei extremamente importante compartilhar esse texto aqui. Quantas vezes já deixamos de conseguir algo pelo simples fato de termos medo de correr risco, de ter que passar por situações complicadas e diferentes do cotidiano diário e mais medo ainda das possíveis consequências sejam elas positivas ou negativa. O medo de correr riscos bloqueia a inventividade, a liberdade e a ousadia fazendo com que muitas pessoas acabem travando a inteligência e desistindo de seus planos pelo fato de ter medo de coisas novas e dos possíveis riscos que poderão surgir. Muitas pessoas reconhecem suas fraquezas e fragilidades, mas acabam optando por não tentar corrigi-las e se manter no comodismo que se encontra. Todos os dias estamos fadados a correr algum tipo de risco, seja um acidente, crises financeiras, assalto, ser frustrados pelos familiares e entre outros. Se tentarmos eliminar todos os riscos que estão em nossa volta acabaríamos sendo seres agressivos, deprimidos, individualistas, autoritários e entediados. Se não passarmos por esse acontecimento certamente não conheceríamos o sabor das derrotas e nem o paladar das vitórias, não erraríamos, não choraríamos, não pediríamos desculpas e entre outros fatos. Um código que nos humaniza onde a consciência de que a vida é um grande contrato de risco que nos sujeita a sermos mais humanos, se não tivéssemos tal consciência certamente não entrediríamos que pessoas são sujeitas a errar e que são dignas de serem perdoadas, ou seja, sem obtermos esse senso que nos humaniza não conseguiríamos viver em uma sociedade e tentar respeitar seu próximo, seja em casa no ambiente de trabalho. Teríamos comportamento de pessoas imortais revestidos de um poder incontroláveis e selvagens que diante do caos da morte todos nos tornaram, frágeis e impotentes. O código dos riscos é saber que para poder realizar sonhos, conquistar pessoas e atingir a excelência profissional impõe riscos diários. Para aprender passar por ele não basta superar o conformismo, o coitadismo e nem reconhecer nossos erros, mas também superar o medo de ousar, de apostar em novos projetos e batalhar por aquilo que se acredita. É certo que ninguém gosta de caos, mas saiba que ele pode ser uma fonte de oportunidades criativas. Quem corre risco nem sempre é compreendido, muitas pessoas acabam tendo medo de expressar suas ideias e opiniões pelo simples fato de ter medo da reação dos demais. Para superar esse medo é preciso ter ousadia e coragem para se arriscar. Alguns acabam desistindo dos seus planos preocupados com as opiniões que possam surgir através do julgamento e do desprezo das pessoas que o rodeiam. As maiorias das pessoas às vezes se reprimem e optam por desistir de seu sonho seja ele qual for. Podemos absorver deste capitulo do livro que o medo de correr riscos esta presente em nossas vidas em todas as situações vividas no dia a dia. Cabe a nós mesmos decidirmos se vamos ou não enfrentá-lo, mesmo sabendo que muitas vezes as decisões tomadas podem acarretar em benefícios ou malefícios.

_ Livro: O código da inteligência. Escritor: Augusto Cury Editora: Ediouro Capitulo 9


Não existe um antidoto contra o medo, o segredo é enfrenta ló sempre!


Dicas:

1-Não alimente os pensamentos negativos

2-Não se preocupe em agradar as pessoas

3-Permita se a experiencia:

Se teve experiencias ruins, as transforme em aprendizados. Lembre se que você já estará um passo a frente daqueles que nem mesmo tentaram. E, se as experiencias forem boas, desfrute delas, pois sabemos o quanto você deu de si para realizar tal conquista.

4- Enfrente o seu medo! não dê a si próprio a opção de desistir.


Se você se identificou com o texto comenta ai, eu quero saber.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

CONHEÇA

Armações de diferentes modelos e preços.