• Marabá Diário

Empoderamento







"Se libertem, mas se libertem primeiro de suas cobranças internas, você pode tudo!"

Barbará Barroso






Voltando pra minha infância lembro-me de minha avó que me criou dizendo "essa menina não vai dar certo com ninguém", ela tentou me deixar uma herança (que graças a Deus não deu certo) porque tinha a convicção que eu não aceitaria nada calada e não duraria em emprego, não aceitaria um relacionamento por questão financeira, enfim eu quebraria muitos protocolos que impuseram para as mulheres. E isso tudo graças a criação que tive de uma senhora que mesmo sendo de uma época antiga já era separada pois não aceitou certos posicionamentos do meu querido avô. Que sorte a minha!


Com o passar dos anos fui percebendo que o machismo se encontra dentro de qualquer ser humano e me dói ver que nas mulheres são muito maior. Eu não aceito que uma mulher diga que está em certo lugar porque "é mulher" e tem que ser assim. Cresci, aprendi minha profissão que na época era na grande maioria masculina, trabalhava numa sala com 11 homens e apenas eu de mulher e em nenhum momento isso me intimidou, os anos foram passando, ganhei meu espaço e me casei pela primeira vez. Nossa! Foi a parte mais difícil da minha vida, eu permiti que um crápula mexesse e brincasse com o meu psicológico, logo eu, a mulher empoderada, a dona de si. Sim! Eu vivi um relacionamento abusivo!


Me separei com 11 meses de casamento, aos 33 anos de idade e com a vida estruturada, achei que eu tinha perdido o chão, que eu não seria mais a mesma até eu perceber que se eu me fizesse de vítima seria pior, foi quando vi que meu chão era eu mesmo, que só eu poderia sair daquela fossa. Aceitei, foi a parte mais difícil, que permiti passar por tanta dor e humilhação, me perdoei e mandei ele ir.... Ser feliz... E foi libertador.


Com alguns dias, reencontrei um cara que mudaria a vida e em menos de 2 meses da maior desilusão da minha vida descobri que estava grávida. Sabe quando você chega aos dois extremos em pouco tempo? Hoje além de mulher independente, sou esposa independente e sou mãe de um ser iluminado, que ensinarei a ele a ser independente também!


O difícil de ter personalidade forte, é ter que explicar pras pessoas machistas que você não é obrigado a nada. Lembro que quando voltei a trabalhar após minha licença maternidade as pessoas me olhavam e perguntavam se eu estava bem e eu estava me sentindo ótima, porque eu tinha que chorar sabendo que meu filho estava em boas mãos? Até hoje quando o levo pra tomar vacina as pessoas me olham estranho porque eu seguro ele e digo, dói neném mas vai passar, ele tem apenas 1 ano mas já tem que saber e aguentar as dores que virão, gente é pro bem dele, então sentir pena porque?


O difícil também é saber que por muitas vezes querer ser o macho alfa é duro porém é revigorante saber que tudo passa e que pra todo início tem um fim e tem um novo início e dói, mas passa.


Hoje aos 35 anos, vivo meu melhor momento, sou mãe, sou desenhista técnico, gosto de tênis, do Mickey Mouse, de futebol, pratico Jiu Jitsu, mas gosto de comprar coisas de cozinha, de cheiro de amaciante, uso perfume feminino, amo maquiagem, amo meu marido, acho que casamento deveria durar a vida toda, mas se não durar, também passa e isso não é um contraste é só uma mulher que sabe que pode ter e fazer o que quer e o que te faz bem.

E o que desejo a todas as mulheres é que se descubram, se aceitem como são, que entendam que sua sanidade mental vale muito mais do que qualquer estereótipo que a sociedade tenta empurrar de goela abaixo. Se libertem, mas se libertem primeiro de suas cobranças internas, você pode tudo!


Bárbara Barroso



136 visualizações1 comentário

CONHEÇA

Armações de diferentes modelos e preços.

Siga nosso Instagram

  • Instagram

Contato: (094) 991560210

" A vida é uma das maiores  escolas em que um individuo pode estudar. Pois, estudamos de forma integral, com aulas teóricas e práticas constantes, com professores rigorosos, e seu termino será somente quando acabar nosso ultimo fôlego de vida, enquanto tivermos  fôlego , somos estudantes ."

Adriana Araújo

Todos os direitos reservados - 2013-2020